Notícias

Chico Limeira vence Festival de Música da Paraíba pela segunda vez

Com a canção “Carta para Maria”, o cantor e compositor Chico Limeira venceu o II Festival de Música da Paraíba, ficando com os prêmios de R$ 10 mil por melhor canção e R$ 2 mil como melhor intérprete. É a segunda vez consecutiva que o artista vence a competição. O segundo lugar ficou para a música “Pandeiro”, composta por Yuri Gonzaga, Zé Neto e Carlos Henrique. Eles levaram o prêmio de R$ 5 mil. Já o terceiro lugar ficou para a composição “Brados do Guerreiro”, do poeta Alberto Batista. Ao todo, 14 músicas passaram pela finalíssima do festival, que aconteceu na noite de sexta-feira (31), no Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego. Ao final da noite, o pernambucano Silvério Pessoa apresentou o show Cabeça Feita, uma homenagem ao centenário de Jackson do Pandeiro.

O II Festival de Música da Paraíba é uma realização da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), Secretaria de Estado da Comunicação Institucional (Secom), Rádio Tabajara e Empresa Paraibana de Comunicação (EPC). Na etapa final o corpo do júri foi formado por Ana Morena (RN), sócia e idealizadora do festival DoSol; Cátia de França (PB), cantora e compositora; Paulinho Rosa, (SP), empresário e produtor do meio cultural, diretor de Canto da Ema, casa dedicada ao forró; Paulo André (PE), produtor cultural idealizador do festival Abril Pro Rock; Jarbas Mariz (PB), instrumentista, cantor e compositor.

Ao receber o prêmio, Chico Limeira o dedicou à mãe, “uma mulher guerreira”, segundo ele. O artista revelou estar surpreso com o resultado. “Carta para Maria” é uma resposta à polêmica gerada em torno da canção “Imprópria”, vencedora da edição anterior do festival. Nela, o compositor diz não querer vencer. E venceu, pelo segundo ano consecutivo.

Já os vice-campeões, Yuri Gonzaga e Zé Neto, consideram que o festival é uma oportunidade para revelar os novos talentos da música paraibana que, muitas vezes, não têm espaço para se mostrar. “Mais importante do que vencer é estar aqui e fazer parte disso”, dizem os compositores e intérpretes da música “Pandeiro”, uma homenagem ao Rei do Ritmo.

“Esse festival é uma grande oportunidade para os nossos artistas, nossos compositores mostrarem a sua arte”, disse Beto Rodrigues, intérprete de “Brados do Guerreiro”, composta pelo poeta Alberto Batista.

Além das vencedoras, outras 11 canções passaram pela finalíssima: 'A vida é Sonho', de Jéssica Melo e Ari Rodrigues; 'Canto Protetor', de Tiago Sotero; 'Apneia', de Cerebraz; 'Florescer', de Tathy Martins; 'Nordeste Imenso', de Raabe Catarine; ‘Baile de pandeiro’ (Xisto Medeiros e Acilino Madeira) - interpretada por Xisto Medeiros; ‘Brasil Colômbia’ (Pedro Faissal) – interpretada por Pedro Faissal; ‘Meus ideais’ (Mebiah) – interpretada por Mebiah; ‘Para além de Paracetamóis’ (Titá Moura)-  interpretada por Titá Moura; ‘Tia Ciata’ (Nara Santos) - interpretada por Nara Santos, Ana Catarina Leão e Rosenilha Fajardo; e ‘Um coco pra Jackson’ (Miguel Monteiro) - interpretada por Osmando Silva. As finalistas foram selecionadas nas eliminatórias realizadas nos municípios de Alagoa Grande e Monteiro.

No ano passado, o evento prestou homenagem a Zabé da Loca. Nesta segunda edição homenageou o centenário de nascimento de Jackson do Pandeiro, o 'rei do ritmo'.